5 passos para criar o primeiro e-commerce

Você quer levar sua loja física para o virtual? Quer começar a empreender e criar um negócio online? Veja 5 dicas para criar o primeiro e-commerce!

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Ter uma loja física em ascensão é ótimo, mas levar seu negócio para o meio virtual pode ser ainda melhor. Além de não se preocupar com aluguel e contas, você ainda atinge clientes de todas as regiões do país. Mas como criar o primeiro e-commerce se você não tem um conhecimento aprofundado sobre o assunto?

Ter uma loja online séria, atraente e segura é essencial para o crescimento do seu negócio. O cliente precisa perceber que fará sua compra de maneira fácil e sem sofrer problemas com dados. Neste post, você vai conhecer 5 passos para criar o primeiro e-commerce. Confira!

1. Planeje tudo o que é necessário para criar o primeiro e-commerce

Quem abre uma loja física muitas vezes não se preocupa em fazer um planejamento estratégico, muito menos com qual público-alvo atingir. Quem você deseja atingir? Qual o seu nicho de mercado?

Escolher seu público (ou sua persona, para ser mais específico e certeiro) vai fazer toda a diferença não só na criação de estratégias de marketing, mas também em todo o plano de negócios. 

Então, comece definindo:

  • seu nicho de mercado;
  • público-alvo;
  • fornecedores.

Embora um negócio tenha muitas questões pra lidar, que vão desde a identidade virtual até o lado contábil, esses 3 pilares são fundamentais para criar o primeiro e-commerce e mantê-lo com sucesso.

2. Defina e registre um domínio e uma plataforma

Antes de criar o primeiro e-commerce, você precisa ter um domínio, ou seja, o nome da sua loja no formato de um link. Sua URL deve ter apenas o nome da sua loja acompanhado de .com.br, .com, .co, .net ou .store. 

Uma dica inteligente é registrar seu domínio com diferentes extensões. Assim, mesmo que você divulgue sua loja com a terminação .com, seu cliente vai encontrá-la se digitar .com.br. Por fim, você gera exclusividade para o nome, evitando que concorrentes ou outras marcas se apropriem com links parecidos, o que pode gerar confusão com o público.

Registros nacionais (terminados em .br) são coordenados pelo RegistroBR; já os internacionais (.com, .net, .co) são de responsabilidade do ICANN. No entanto, algumas plataformas de hospedagem de e-commerce fazem esse intermédio pelo lojista. 

O domínio também é pago e, geralmente, assegurado por um plano de ano. 

3. Escolha uma plataforma de hospedagem

Mas um e-commerce não é um simples site — ele é uma plataforma muito mais complexa, já que mostra todos os seus produtos disponíveis e o pagamento também é feito por ele. Portanto, é essencial contar com uma boa plataforma para hospedá-lo. 

Por exemplo: imagine que sua loja começa a atrair clientes e você aproveita a Black Friday para ter um boom de vendas em uma data sazonal. Como o site começa a ser muito acessado, a plataforma não aguenta e fica instável. Com isso, você perde uma série de vendas e, consequentemente, de clientes que poderiam voltar a fazer compras no seu e-commerce.

Existem 3 tipos de plataformas:

  • gratuitas simples: são mais limitadas, não permitem customização (algo essencial para um negócio) e, consequentemente, a instabilidade é maior. Se você deseja criar o primeiro e-commerce de longo prazo (ou seja, não pretende trocar de plataforma tão cedo), não é a melhor escolha;
  • gratuitas de código aberto: essas têm mais vantagens, pois permitem que você faça diversas modificações. No entanto, precisa ter conhecimentos específicos de programação ou contratar um especialista. Além disso, não oferece suporte técnico — no máximo, há uma comunidade de programadores que pode auxiliar;
  • pagas: têm ótimo suporte técnico e estabilidade, mas cobram uma porcentagem da receita do e-commerce. 

O ideal é que a hospedagem de domínio seja feita no mesmo local de hospedagem do seu e-commerce. Além de ser mais fácil, a plataforma pode intermediar o registro da sua loja com a entidade específica. 

4. Preocupe-se com a segurança de dados

A principal preocupação ao criar o primeiro e-commerce é a segurança dos dados do seu cliente. A maioria vai comprar com cartão de crédito, além de inserir dados como nome completo e endereço (pessoal ou profissional) para entrega. O vazamento dessas informações pode causar um prejuízo enorme à ele — e à sua loja, que pode demorar muito a se recuperar. 

Veja quais tipos de segurança você deve ter no seu e-commerce:

  • SSL: Security Sockets Layer é um tipo de certificado de segurança que permite a troca de informações criptografadas entre um site e um navegador — uma “conversa privada” entre as partes interessadas. É usado por milhões de empresas no mundo todo para evitar fraudes ou roubo de informações;
  • scanner de aplicação ou vulnerabilidade: busca vulnerabilidades no seu e-commerce para evitar que pessoas mal-intencionadas roubem dados;
  • sistemas antifraude: coleta dados do cliente para cruzar informações e comprovar sua legitimidade;
  • selos: são certificados que validam a segurança do site e a qualidade da loja, como o Ebit e o Site Blindado.

5. Atenção à nova Lei do E-commerce

Você sabia que existe um Código de Defesa do Consumidor voltado ao comércio virtual? Sim, o Decreto Federal nº 7.962/2013, conhecido como Lei do E-commerce, veio para proteger quem faz compras online. E você, que quer criar o primeiro e-commerce, precisa ter atenção para não infringi-lo. 

Veja no que você deve prestar atenção:

  • seu e-commerce deve mostrar, em local de fácil visualização, seu nome empresarial, CNPJ, endereço físico (se houver) e eletrônico e informações de contato;
  • coloque informações claras sobre o produto ou serviço oferecido, incluindo prováveis riscos à saúde e à segurança dos consumidores;
  • troque obrigatoriamente produtos com defeito: se for um bem não durável, o prazo  é de 30 dias; já para duráveis, 90 dias;
  • respeite o direito de arrependimento: o cliente pode devolver o produto no prazo de 7 dias a partir do recebimento;
  • ofereça diferentes canais de atendimento — o cliente deve chegar ao seu SAC com facilidade;
  • discrimine quaisquer despesas adicionais no preço final, como frete ou seguros;
  • informe com clareza quaisquer restrições de uma oferta.

Como você viu, é possível criar o primeiro e-commerce com profissionalismo, cuidado e segurança para o seu cliente. No entanto, ele exige conhecimento técnico e precisa seguir a nova lei do e-commerce. Se você não quer ter erros na hora de criar a sua loja online, o melhor a se fazer é contar com especialistas.

A B2U é a agência de marketing digital especializada em e-commerce. Seu plano pode contar com serviços que vão desde a criação e desenvolvimento de sua loja até a gestão completa do seu marketing digital. E tudo isso em pacote de acordo com as suas necessidades!

Se você quer criar o primeiro e-commerce com o apoio de especialistas que já geraram resultados para dezenas de empresas e lojas virtuais de diversos segmentos, entre em contato com a Agência B2U!

Assine a nossa newsletter

Receba atualizações e aprenda com os melhores

veja mais

Quer saber mais sobre os nossos serviços?

Vamos Conversar

small-bg-popup-agencia-b2u

Vamos conversar

Vamos alavancar as vendas da sua empresa?